Ceará pega Santos, São Paulo, Flamengo e Corinthians nas 4 primeiras rodadas

O Ceará já sabia que teria vida complicada na Série A do Campeonato Brasileiro, mas o que os alvinegros não esperavam era que o início seria logo de cara com quatro pedreiras. Ontem, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) divulgou a tabela base do 1º turno do Brasileirão, com ordem dos confrontos, e o Vovô vai enfrentar quatro campeões brasileiros logo nas primeiras rodadas.

Santos (fora), São Paulo (casa), Flamengo (casa) e Corinthians (fora) serão os oponentes do Alvinegro nas quatro rodadas iniciais do certame. Quatro dos maiores clubes do País, eles somam, juntos, nada menos que oito Mundiais Interclubes, oito Libertadores da América, 25 Campeonatos Brasileiros e sete Copas do Brasil.

“Vai ser assim o campeonato todo. Não vai ter nenhum time que vai jogar contra o Ceará que não vai ter méritos por estar na Série A, são todos times de elite. Vamos ter que encarar todos e fazer nossa parte para tentar os objetivos”, disse o presidente Robinson de Castro, em entrevista ao programa Trem Bala, da Rádio O POVO/CBN.

As datas, horários e locais exatos de cada jogo serão definidos posteriormente. Porém, a estreia será em 14, 15 ou 16 de abril.

No primeiro turno, o Vovô fará ao todo dez jogos como mandante e nove como visitante, incluindo a 19ª rodada, que encerra o turno, contra o Vasco, no Rio de Janeiro. No segundo turno, será exatamente o oposto, com dez jogos longe da capital cearense e nove com o apoio de seu torcedor. A última rodada, contra o cruz-maltino, será em casa.

Além da divulgação da tabela do Brasileirão, ontem foi realizada na CBF também reunião do Conselho Técnico da competição, que contou com representantes dos 20 clubes da Série A. Nela ficou definido o veto à utilização da arbitragem de vídeo.

O placar foi de 12 a 7 contra o VAR, além de uma abstenção. O Ceará foi um dos clubes que votaram contra o mecanismo.

“Fomos contrários em face de os gastos terem que ser assumidos pelos clubes. Um custo em torno de R$ 50 mil por jogo. Por isso nosso posicionamento foi esse (contrário), até porque temos o menor orçamento da competição”, justificou Robinson de Castro.

A CBF queria que os clubes arcassem com os gastos da implantação da tecnologia, estimados em R$ 20 milhões para os 380 jogos da Série A. Média de

R$ 52.631 por partida. O VAR seria utilizado em lances duvidosos, como os que envolvessem gols, pênaltis, cartões vermelhos e identificação de atletas.

TIME PG J V
1º Fortaleza 12 6 4
2º Ferroviário 11 6 3
3º Floresta 11 6 3
4º Iguatu 11 6 3
5º Ceará 10 6 3
6º Uniclinic 7 5 2
7º Horizonte 7 6 2
8º Guarani-J 6 5 2
9º Tiradentes 5 6 1
10º Maranguape 1 6 0
Classificados para segunda fase
Rebaixados para série B

FONTE: Redação O POVO Online.

Use o Facebook para comentar este Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *